segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Três exemplos de que estar no BBB exige muito do psicológico dos participantes

Um reality show é uma experiência e tanto, festas, piscinas, provas, uma casa de luxo, e ainda de quebra sempre rola uma fama, como é o caso dos ex-bbb’s, não é mesmo? Mas nem tudo é um mar de rosas, existe uma pressão muito grande em cima uma pessoa que se submete a participar de um reality show, especialmente se tratando do Big Brother Brasil. É necessário ter um controle psicológico muito grande de si mesmo, para conviver com pessoas dos mais diversos nichos e classes sociais, para enfrentar as provas de resistência, para permanecer em confinamento longe da família por longos dias, saber que o Brasil inteiro está te observando através das diversas câmeras espalhadas dentro da casa e muito mais.




Isso é até uma dica para quem deseja ou vai participar de um reality show, no caso aqui o Big Brother Brasil, transmitido pela Rede Globo. Relembre alguns casos de participantes em que a pressão e o estado psicológico abalado fez com que eles tivessem atitudes que fossem repugnadas.

BBB 17

Essa edição do reality show foi uma das mais interessantes inicialmente. Pois os mesmos trouxeram duas irmãs gêmeas para o programa, mas apenas uma das irmãs permaneceria no jogo. Emilly foi à irmã gêmea que permaneceu na casa e ao longo dos dias começou a se relacionar com o cirurgião plástico Marcos Harter, que era bem mais velho que a moça. Os dois fizeram uma parceria forte dentro da casa e contra os outros participantes e eram considerados fortes para se enfrentar no paredão. Só que no meio do programa, o telespectador começou a notar mudanças bruscas no comportamento do médico, que se exaltava por pequenos motivos, e minutos depois estava se lamentando pela briga que causou, estando arrependido. Nas últimas semanas, Marcos protagonizou com Emilly cenas de agressão a sua affair, o que horrorizou o público e fez com que o médico fosse expulso.

BBB 16

Neste ano foi à vez de uma polêmica com Ana Paula Renault, que perdeu a cabeça no programa, e acabou agredindo um colega de confinamento. A mesma que teve uma passagem polêmica dentro da casa, em uma das festas, a loira acabou agredindo Renan Oliveira. No caso, a briga aconteceu, pois alcoolizados, Ana Paula estava provocando Adélia, outra participante do programa e Renan resolveram se intrometer, sendo assim ele acabou levando um tapa na cara da mineira, que sabia das regras do programa sobre agressão. No outro dia, quando os ares foram acalmados, Ana Paula foi expulsa e a mineira que tinha muitos fãs na internet, perdeu a chance de ser a vencedora da edição.

BBB 1

Este caso possivelmente não tenha sido por motivos de pressão do programa, mas mostra o quanto é necessário ter um estado tanto psicológico quanto de saúde para estar em um programa de confinamento. Como foi o caso da primeira edição de Leka, que após as refeições forçava o vômito. Ela visivelmente tinha problemas com o seu peso, mas como alguém a ajudaria de fato dentro de um reality show em que o propósito não é esse? Na época a bulimia não era tão discutida, sendo assim os participantes não entendia o porquê daquilo, nem sabiam como de fato ajuda-la, o que prejudicou sua participação no programa.

Outros casos polêmicos houve durante todo o percurso do Big Brother Brasil, porém estes foram os três casos mais marcantes para os telespectadores, de participantes que não tiveram consciência para permanecer dentro da casa por conta seja da pressão do jogo, como por um estado psicológico abalado.



0 comentários:

Postar um comentário